sábado, 26 de novembro de 2016

                       *** A Coragem que me Falta***
Asas para voar
Além de mim, depois de nós dois.
Criar asas e voar...
Esquecer o que fomos buscar em outros lugares
Além da dor profunda, que causou a tua ausência em mim.
Soltar as amarras deste amor
Que hoje sei tão frágil
Pois se perdeu no tempo do teu querer
E eu que te amei além das fronteiras da razão
Não percebi o quando morreu em ti
Quando partiu dos meus braços
O vazio que se formou em mim sufocou tudo
As sombras tomaram conta do meu mundo
Até então feliz...
Quero asas para voar além de mim
Além deste amor
Tentar se possível reconstruir
Cada sorriso, cada olhar, cada abraço, cada passo.
Deixar além dos montes... A dor imensa que dilacera meu coração
E além das nuvens encontrar um lugar
Para recompor a mente desfragmentada
E ao meu coração se este ainda bater
Que eu consiga fazê entender
Que está livre, liberto, sofrido sim.
Mas que pode curar suas feridas
aos pés do Senhor...
Além dos vales, dos montes além do mar.
Voar e quem sabe um dia ao retornar
venha vestida de outras roupagens e traga na alma
Apenas lembranças borradas de ti...
i
Guarulhos, 07/01/2013
Darcy Bilherbeck.


terça-feira, 30 de junho de 2015

*** Os Teus Olhos ***

                                    















  Os Teus Olhos

Quando os teus olhos
 Encontraram os meus
O dia se fez...
O sol despertou
As flores se abriram
Exalando doce perfume
Quando os teus olhos
Encontraram os meus
O riso tomou conta
Contagiou a noite
Que se encheu de estrelas
Iluminou o infinito.
Quando teus olhos
 Encontraram os meus
 A vida tomou forma
 Tornei  me humana...
          São Paulo, 03/07/11

                            Darcy Bilherbeck.

*** O Vento ***

             























Meus pensamentos são como um
Como um oceano revolto
Meus sentimentos se chocam
Entre a razão e a emoção
Nessa luta constante de
Em separar o concreto do agora


E os sentimentos guardados
Que não querem se calar
É como o vento lá fora arrancando folhas
Que se espalham pelas calçadas, pelas ruas cinzentas
É tão difícil lutar contra sentimentos
Acumulados ao longo dos anos
Quando você acha que tudo é passado
O sentimento se liberta
E me dou conta de que nada mudou
Apenas o tempo passou, mas ele continua
Devastando minhas memórias
Guardadas como se nada fossem
Pra mim, no meu dia chamado hoje e a vontade de partir
Alastra-se como fogo levado pelo vento
E este rodamoinho de emoções passadas
Parte...
Rompendo fronteiras
Limitadas da razão e da lógica aparente
Parte em busca do que ficou
Em algum lugar do passado
Ainda presente
Que se choca entre o concreto hoje
E o abstrato suspenso nas entrelinhas
Guardadas da emoção.
Já sou duas...   às vezes
Sou tantas...
 Visto sonhos e me perco em você.
Hoje visto saudades e saio às ruas
Levada pelo fascínio do vento
A te procurar...
Acordo!
Na realidade amarga da razão
E nela descubro tua ausência tão patente...

São Paulo, 12 de março de 2011

                Darcy Bilherbeck.

domingo, 31 de maio de 2015

Testificando o Agir de Deus em Minha Vida

Um dia...
Vi meus sonhos ruírem, minhas ilusões...  Se tornarem nada
Meu mundo caíra,
 Desolada, confusa me senti só
  Fora da realidade
Quis deixar-me em algum lugar onde eu não me visse mais,
Havia me transformado.
Um rosto antes belo e sem marcas
Agora o tinha deformado
Não conseguia mais viver comigo,
A provação é por demais dolorosa
 Para o meu orgulho de mulher
Sufoquei a minha dor
  Isolei-me do mundo e de mim
Um dia... Fui parar num lugar estranho e deserto
Assim como eu, estranha e deserta,
 Longe de tudo o que eu conhecia
Lugar estranho e de gente esquisita
Durante a semana era deserta, feia,
 Apenas o mar me atraia e me deixava ficar
Longe dos olhares curiosos, nesse tempo
Eu vagava entre a escuridão do meu mundo
Sombrio.
Na solidão de andarilha do tempo
Eu me consumia em andar por ruas desertas
Buscando respostas no vazio absurdo que eu criara
Vi tanta devastação, tanta destruição da natureza
Que fui sendo tocada a olhar com mais atenção ao meu redor
O cenário era desanimador, montes e montes de árvores derrubadas
Empilhadas e sendo queimadas em grandes fogueiras. Com a alma
Condoída voltei pra casa, peguei uma câmera e voltei ao cenário desolador
Comecei aí a documentar tudo aquilo. Chorei muito por vários dias e não conseguia me conformar, era como se fosse eu a ser invadida, quebrada, queimada e abandonada
Um dia resolvi pegar um carrinho de pedreiro, coloquei um chapéu, calcei uma bota, um facão saí, sem ter noção do que iria fazer, voltei ao local das queimadas e fiquei a olhar e de repente me vi pegando uma raiz queimada, melhor dizendo carbonizada, coloquei no carrinho e voltei pra casa, depositei no quintal,depois disso, todos os dias eu voltava ao local, mexia e remexia  naqueles montes de raízes retorcidas e aquela que me atraia, eu pegava e levava pra casa. Teve gente que dizia que eu tinha enlouquecido, mas no meu mundo isso não importava
Eu pouco enxergava o mundo e as pessoas a minha volta. Comecei a me preocupar com a situação daquelas arvores sendo consumidas pelo fogo.
Mal sabia que o” escultor” Fogo estava a trabalhar à sua maneira e o Senhor do Universo também “Eles só esperavam que alguém tomasse sentido do que ocorria ali. e eu fui a escolhida, talvez porque estivesse em igual situação, embora eu sempre soubesse que quando Deus quer agir, Ele levanta do pó a criatura que Ele escolhe e dá a direção colocando em seu coração o que Ele quer, se quer nos moldar tem o poder de nos quebrar em cacos, para colocar cada um no seu lugar, Ele é poderoso para fazer isso. Eu não tinha consciência disso
Apenas fazia o que eu achava que tinha de ser feito, louca ou lúcida eu continuava, eu estava só, ou eu pensava que estava,quando já tinha um belo monte de entulho e era isso que parecia, no meu quintal, achei que era ora de parar de sair e me aventurar por lugares perigosos e cheios de cobras e lagartos.
Levantava com o sol e saia a caminhar na praia deserta, muitas vezes me lançava ao mar na ânsia de afogar os pensamentos sombrios e sem dar por mim, estava deitada na areia a ouvir o barulho das ondas, foi um tempo indefinido esse que passei até começar a perceber as pedras que as ondas traziam e depositava nas areias comecei uma nova etapa, catar pedras de todos os tamanhos e cores, conchas de todos os tipos e formas, mal sabias para que elas serviriam
Voltava pra casa nessas alturas de tempo, negra pelo sol, minha vida se dividia a sair quando o sol nascia e voltava 5 horas depois, tomava um banho tomava café, arrumava a casa, cuidava das plantas que eu plantei no terreno, eram amoras, acerolas, maracujá, coco, laranja em cacho, uva, que ganhei três galhinhos que me mandaram plantar, escolhi um lugar e plantei depois de cinco dias na água, no primeiro ano com menos de50 cm me agraciou com três cachinhos de uva, fiquei tão feliz, vendo o seu crescimento que no ano seguinte coloquei quatro estacas e fiz uma rede como de pescador, pra ela subir, nesse ano ela me presenteou com 84 cachos de uva e a rede já não a suportava mais, então comprei madeira, cimento, pedra, areia, enxada, serrote, pregos e coragem, perdi o medo da furadeira e cavei buracos, misturei massa fiz concreto e ergui um pergolado onde ela pudesse se desenvolver, e nesse ano ela me ofertou com 184 cachos de lindas uvas rosadas doce como mel, foi um premio pra mim,pois que cuidava dela com todo amor e carinho, que concebera pelas plantas, enquanto isso as outras plantas se desenvolviam e davam seus frutos, plantei muitas plantas, num lugar árido onde era só areia, eu criei um lugar florido e frutífero e como se tudo isso não bastasse construi um lago com uma fonte de pedras grandes que nem eu sei como conseguia colocar dentro do carrinho, eram amarelas, brancas e pretas e jorrava delas água cristalinas que subiam e desciam por sobre as pedras e ficava no meio de duas palmeiras, rodeadas de flores de todas as cores e tamanhos e nesse mundo aparte eu trabalhava e olhava aquele amontoado de raízes, troncos e galhos. um dia pensei como vou fazer alguma coisa sem ferramenta própria
Fui a cidade do Rio de Janeiro e procurei uma loja de ferramentas, comprei um jogo de formões para artesanato e mais formões grandes. Voltei pra casa decidida a iniciar uma obra que não sabia no que ia dar, peguei um enorme galho queimado e retorcido e comecei a limpar. só então comecei a perceber o que realmente eu tinha pela frente, mas como eu não tinha nada a perder e tinha todo o tempo do mundo,fui separando tudo num longo corredor,se alguém chegasse e visse tudo aquilo, com certeza diria, realmente ficou louca, minha sorte é que meus filhos iam me ver, uma vez a cada três meses, pois estavam morando em São Paulo, então loucura ou não,comecei meu trabalho.Depois de separados, comecei a limpeza tirando folhas mortas, todo tipo de sujeira, até filhote de cobra tinha  nos emaranhados de detritos que envolviam cada um e nesse trabalho descobri  que havia uma possibilidade de haver vida.
  Escavei cinzas, tirei sujeira, lavei feridas,
 Chorei dores que não eram minhas
E por misericórdia de Deus, esqueci de mim,
 Da deformidade, da dor, da solidão a qual me submetera
 Surpresa descobri a beleza sob o fogo das queimadas.
Quando parei de olhar para mim e levantei a cabeça e
 Passei a cuidar de outras feridas que não as minhas
Aprendi a aceitar, meu rosto,
 O espelho deixou de ser o meu algos
Pois não era apenas o meu rosto que trazia cicatrizes
O fogo também faz cicatrizes profundas nas raízes das árvores
 Queimadas ,arrancadas do solo ao serem jogadas
Para serem queimadas.
Quem se importou s e elas eram importantes ou não.
Descobri quanta beleza embaixo do carvão, da sujeira,
 Algo difícil de descrever,
 Mas isso só foi possível quando resolvi tomar atitude de ver,
Alem de mim,
 Foi o jeito que Deus usou para mover as águas
Da minha vida.
HOJE SEI QUE A TORMENTA,
Foi necessária e que deveria olhar para frente
E descobrir nas raízes desprezadas , jogadas, amontoadas
 Sem valor,que eu poderia mudar isso e foi assim que
Ajuntando, raízes, troncos, galhos queimados.
Comecei o trabalho de restauração de tudo aquilo
Que estava agora sob meus cuidados
Limpar, lavar, raspar e tirar toda sujeira acumulada
Pelo tempo.
Indo mais fundo, raspar todo o carvão até chegar a carne
Depois de tirar toda a impureza,consegui ver o que o fogo
Havia esculpido, encontrei formas inusitadas,
Naquele tempo não parei pra pensar nas lições que estava tendo
E muito menos que era Deus agindo em mim.
Eu nunca havia estudado escultura e nem sabia o que fazer
 Ou em que aquilo ia se transformar, eu simplesmente agia por
Instinto ou intuição, esse trabalho me tirou do marasmo, da inércia
Trabalhava de oito a dez horas no dia , não me cansava e muito menos
Desanimava quando depois de dias a fio, não achava nada sob o carvão
Eu continuava, sem pensar em mim ou no tempo que se alongava
Afinal era eu, Deus e o tempo da reconstrução de minha alma de meus valores
E minha aceitação da nova criatura.
Eu e as raízes, quando consegui a minha primeira escultura,” DEUS COMO SEMPRE”
Inspirou-me a criar um adstringente bactericida que pudesse proteger
As obras, contra fungos e pragas e fiz usando vários produtos, depois deixando essas
Obras imersas por até 15 dias na solução, passado esse tempo, tirava e deixava a tomar
Sol, para então aplicar acabamento, sob a direção de Deus acabei incrustando pedras
Muitas delas colhidas do mar, pedras essas que se espalhavam pela praia
Imensa que eu tinha ao meu dispor era só colher e usar, em outra eu aplicava cristais
A minha Primeira Obra dei o nome de “JOELHO DE CRISTAL” que grande sabedoria de Deus
Através disso tudo, ainda continuei a trabalhar e quando dei por mim tinha pronta mais de 20 Obras na minha sala, hoje sou grata ao meu Deus por ter tido misericórdia de mim e não desistir de mim, quando eu já havia desistido, continuei com tratamentos e cirurgias a cada ano que se seguiram , mas não desisti do meu trabalho de esculpir e trazer de volta à vida
Formas perdidas e achadas por minhas mãos e tenho tentado mostrar aos seres humanos
O dano feito a natureza, em sua forma cruel , desnecessária e gananciosa, pois por incrível que pareça ainda tenho dificuldade em conseguir liberação de troncos e raízes para meu trabalho.
Eles preferem transformar em adubo, a fornecer as raízes para mim.
Mesmo assim tenho Obras no” Acervo de obras de Arte do Consulado Brasileiro na Itália”
Com a Obra “Envolto em Chamas”
Fiz exposições em vários Países da Europa e varias Premiações,por exemplo
“JOELHO DE CRISTAL” Com Medalha “Bronze” em Londres.
E assim tenho conservado meu amor a arte e ao meu Deus que tudo me deu
E que continua agindo em minha vida, hoje tenho pequena seqüela na boca,nada que me impede de me mostrar ao mundo, não tenho meu rosto perfeito mas minha alma esta refeita
E plena de agradecimento ao Meu Deus em quem confio, pois que Ele me socorreu, no momento mais difícil de minha vida, quando a morte se apresentou e todos os meus valores foram destruídos, Ele se mostrou e se fez presente de uma forma generosa e misericordiosa
Pois eu nada tinha a oferecer além da dor, da mutilação, das feridas abertas, da decepção, da vergonha e da pobreza de espírito.
Ele me fez ver além, vi a podridão das raízes, das árvores caídas e socorrendo-as Deus me limpava e cuidava das minhas feridas, as cicatrizes continuam em meu corpo em meu rosto como uma forma de não me esquecer de onde Ele me tirou devolveu –me a vida a dignidade e o amor. As pessoas que um dia me rotularam como louca um dia viram minhas obras que enchiam a minha sala, não acreditavam que eu pudesse transformar um monte de lixo em arte.O tempo passou não sem as cirurgias de cada ano, era um novo desafio a cada cirurgia,pois a doença progredia em mim de uma forma dura,com enfecçoes severas com seqüelas horríveis cada vez que era hospitalizada ora pra fazer enxertos , outra pra colocação de mais Pinos de Titânio pois não havia mais osso, cirurgias longas de 12 a 14 horas,só Deus
Sabia o que ia na minha alma.Mas Ele já tinha colocado um anjo pra cuidar de mim, o meu medico, Dr Nelson Colombine nunca em momento algum desistiu de mim, mesmo quando eu desisti ele dizia vamos tentar mais uma vez,e mais uma e mais uma em 2009 coloquei um implante Condilar para poder me alimentar e falar, sai do hospital sem saber que estava com infecção hospitalar, quase morri, Dr Nelson me salvou mais uma vez, meu filho foi incansável ao cuidar de mim pessoalmente,nunca disse não posso, minha filha nunca disse não tenho dinheiro, vá e faça, mas eu tinha alem da infecção hospitalar contrai uma bactéria por nome de Estafilococos Áureo que se instalou no meu rosto na região da orelha o que fez com que eu ficasse 10 meses com um corte de 10 cm aberto com secreções horríveis, fui pra mais uma cirurgia de 12 horas, depois de 15 dias, sem resultados positivos.depois de seis meses fazendo uma sessão de 3 horas em uma câmara hiperbárica sem resultado, fui parar em unidade de infectologia com previsão de ficar internada de quatro a seis meses para tratamento, pois a Bactéria havia se tornado resistente a todo tipo de antibióticos, só restaram dois e esse só era aplicado em hospital, resultado eu entrei literalmente num manicômio, com doentes terminais de todo tipo, ali eu conheci a degeneração humana na sua essência , tanto de médicos, como de enfermeiros, sem compaixão ou piedade,ali eu pude ver tudo de pior que se pode esperar
Quando não se tem Deus.Eu não dormi por 72 dias em que fiquei ali, era um zumbi, que podia se mover, que podia ler que tinha acesso a um notebook e que tinha uma janela para o mundo no 15º andar do hospital, onde eu podia ver a vida do outro lado.
Nesse lugar tive minha alma resgatada pelo poder da palavra de Deus e pela força de vontade do meu filho que ia a Igreja e pedia oração, levava água consagrada para lavar meu rosto. Eu já não tinha mais braço para colocar cateter para injeção, enquanto lá fiquei não vi alta medica de ninguém, apenas mortes a cada dia. Contrariando todos os diagnósticos sai de lá, lavada e curada pela mão poderosa de meu Jesus, transformada e consciente de tudo o que ele me mostrou nestes 15 anos de lutas e perdas e hoje ganhos,fazem seis anos que estou livre
 Da doença que corroía os meus ossos da face, hoje eu sirvo um Deus vivo e poderoso que é tudo na minha vida. Hoje não tenho medo de nada, não tomo nenhum medicamento, sou uma pessoa sadia e com força suficiente para trabalhar e buscar um futuro melhor.
O meu Deus me abençoou com uma Casa de Bolos Caseiros, um projeto a muito sonhado por mim, trabalho de cedo a noite sem me cansar. O que passou ficou no passado, ficou o aprendizado de muitas lutas e batalhas e a certeza de que Deus é minha rocha e meu escudo Nele sou uma vencedora para a glória de Deus.
Esse é o testemunho do que vivi
 Deus age em nossas vidas se nos achegarmos a Ele
E a Ele nos entregarmos de todo coração e o amarmos
Com todas as forças do nosso pensamento, Ele é poderoso
Para mudar a sua vida como mudou a minha,
Entrega os teus caminhos ao Senhor, confia Nele e o mais Ele
Fará na sua vida.
Guarulhos, 31 de maio de 2015.

               Darcy Bilherbeck.

domingo, 17 de maio de 2015

A Espera de Um Socorro

                                 
Quando a tua lembrança bate á porta
E como a tempestade rompendo
 As comportas... Como águas represadas
Que se transformam em lágrimas
Caudalosas como um vendaval 
Jogando-me contra o meu passado
De luz, de sol, de riso e amor real
 Sublime como claridade das manhãs...
Hoje... não os tenho presente.
Apenas nevoa, vivo apenas
 Sem alegrias reais
Ficou o turbilhão de dias sem cor e sem sons,
Vivo a vida de cada dia
Como o autonomato cumpre o papel
De viver
Saio pela chuva descalça faminta
Na ânsia de ter a alma lavada
 E o coração acalentado...
Já não sinto a solidão, ela adormeceu
Outra vez...
Só a chuva forte e os trovões são reais
 A certeza de que sou feita de saudades
Então olho para o alto e suplico o socorro que vem do alto
Pois só sendo assim
 Consigo prosseguir nesta jornada
 De dias sombrios
Onde minha alma sedenta
 De paz e de luz espera...



Darcy Bilherbeck


       SP, 22/01/14





















segunda-feira, 4 de maio de 2015

*** Coração ***

















O coração guarda emoções
que os olhos não escutam
que a boca emudece
que os ouvidos calam
O coração perdoa
o que os olhos não vêm
escondem na boca a angustia
das palavras,
O coração perdoa
o que os ouvidos sentem
no sussurrar das palavras
O coração expressa
quando o "Amor" nasce
O coração se alegra
expande-se quando
os olhos sorriem
O coração vai à boca
quando a saudade aperta
O coração sangra
quando desaparece
a esperança
O coração da gente
é um misto de amor
e alegria, é vento que
canta e dia que nasce
O coração é um jardim
chamado amizade
plantamos sentimentos
que só ele conhece
O coração é um tempo
ou um templo complexo
de emoções constantes
diversas...
O coração lê o que vai
na alma do tempo
quem dera fosse possível
desvendar seus segredos
percorrer seus caminhos
filtrar seus vasos
plantar sementes e deixar
sorrisos nas retinas
claras do amor
No tempo templo
de todo ser...     

  Darcy  Bilherbeck   08/08/08


quarta-feira, 22 de abril de 2015

*** ALMA ***

                   























 *** Diante da grandeza de Deus***
Se rende meu espírito
Despido do orgulho
 Mergulha...
No mar imenso da sua bondade
Sinto calar a dor e o desespero
Onde dormia meu espírito aflito
E das profundezas da sua misericórdia
Renasço curada pelo seu amor
E na fenda da rocha me escondo
Do temporal...
Olho para o alto!
Onde está o meu Senhor
Nas suas asas voa rumo ao
Desconhecido de mim.
Sei das minhas fraquezas
Do quanto terei de aprender
 Trocar minha roupagem

Vestir meu corpo e calçar meus pés
Aprender a andar...
Um novo caminho se apresenta quando se tem
A alma lavada e o coração agraciado pela
Contagiante presença da luz
Que inunda o meu mundo
 Iluminando e dissipando as trevas
Sob o céu estrelado elevo meu pensamento
Agradecida por ser livre
Do meu orgulho e da ignorância
Que escondiam meus olhos de ver
As possibilidades infinitas do Seu amor
Que sendo eu miserável, pobre e nu
Fui alcançada pela palavra de Vida
Que embora acreditasse que existisse em mim era apenas o vazio
Se fazendo presente.
Hoje meu amor é mais amor,
 pois sei que habitas em mim
E onde há luz as trevas não permanecem

Graças te dou meu Deus e Salvador de minha alma. 

São Paulo, 29/07/11


Darcy Bilherbeck,

terça-feira, 31 de março de 2015

*** Você ***
















Você veio durante a noite
Como a lua que surge vagarosamente
Quando menos se espera... De repente está ali
Brilhando e encantando
Você saiu do subconsciente e penetrou
Na minha realidade íntima e noturna
Você...
 Misto de real e imaginário
Realidade imaterializada
 Você bálsamo, suavidade, afeto, sorriso
Paixão incontida de quem nunca se revelou
Você que nunca soube que era amado.
Você eleito do meu coração
Você ficou no fundo do inconsciente
Surgiu esta noite e eu que nunca acreditei que viesse
Que eu merecesse... Chorei
Chorei pela necessidade, pelo saudosismo
Pela compreensão que tivera e hoje não tenho
Chorei...
 Porque acordei e não pude ver você.

                           São Paulo, 31 de dezembro de 1988

                                        Darcy Bilherbeck.

domingo, 29 de março de 2015

*** Além ***













Alem de mim existe o mar
O mar em mim
Inunda meus sentidos
Me tornando água
Ondas borbulhantes
Calmaria...
O vento espalha as ondas
Na areia e desaparece
Nada fica
Apenas a vastidão que se alonga
Tomando os sentidos
Desfraguementando os meus pensamentos
A paz que tanto procuro
                  Que me faz viver.

Guarulhos,                                  12/10/12   Darcy Bilherbeck

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

A Procura

                          




































Onde buscar a sabedoria das palavras
Quando o coração se recolhe em silencio
Com sentimentos já tão desgastados
Vestem-se de ansiedade e se calam
Já não sou ontem
E o hoje se perde
Em lacunas frias
Já não busco sonhos
Apenas o ar
O som que teima em atravessam as paredes
É presente
O chão bruto sob os pés
É concreto
O resto...
 São respingos esparsos
De um dia que passou
Sem deixar marcas...
Darcy Bilherbeck
10/01/2014.


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Torrente

             












A minha mente é como a 
torrente
 De águas represadas,
 Que sufocada
Se cala... E espera
Que o tempo passe
Que os dias se percam
Na nebulosa noite sem fim
Há! Esta tendência de ficar
Com os sentimentos em suspense
Esperando...
Que este turbilhão de sentimentos
Se acalmem e quem sabe
Se diluem em gotas pela face
De um novo dia.

          Darcy Blherbeck


           SP, 02/12/14

domingo, 1 de fevereiro de 2015

Uma Rosa Suspensa na Memória



















Tenho uma rosa suspensa na memória
É uma flor de amor
Onde um rio escorrendo molha a sombra
O tempo deitou raízes na água
Meus olhos assistem comovidos
Meu canto se afoga em borboletas
De que plaga se alça uma flor liberta
Na larguesa de vôos incontidos
A que espumas transidas remonta
Que céus que sonhos sempre a espera
No recesso azul de uma rosa?
Pérola de foco de meus versos
Meu coração se esconde numa sombra
Vestido de palavras
No meu corpo sensível
Pingam gotas de orvalho
Molhando a madrugada
Alimento-me com as seivas da alvorada
Ébrias de estradas.


Vany Campos

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Senhor
















Senhor!
A Tua sombra me recolho e
 Humildemente me inclino à Tua vontade.
Sob a Tua misericórdia descanso e espero...
Cubra-me com a Tua luz,
Da-me forças para prosseguir na caminhada,
Ensina-me Senhor a Te reconhecer
 E Te honrar, que guardar os Teus ensinamentos
 Seja um bem precioso e não um fardo,
 Que minha vida seja neste ano e em todos os outros
 Para eu andar com meus olhos em Ti e poder assim contemplar o teu imenso amor,
 Eu te peço não deixe que meus olhos e meu coração percam o brilho
 De te amar sem medida...
Hoje eu sei que
 Segura em Tuas mãos poderei andar sobre as águas,
Atravessar todas as lutas e que mesmo se eu chorar,
Sei que o Senhor enxugará toda lágrima.
E me fará um vencedor...

Darcy Bilherbeck


SP, 08/01/15

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Amanhecer
















Amanhecer
O dia vem surgindo além dos vales e montanhas
Com seus tons de rosa alaranjado
Os pássaros deixam seus ninhos numa revoada
Colorindo a verde da mata
Posso vê-los e ouvi-los
Mais adiante...
Sobre a relva ainda orvalhada
Saltitando por sobre as flores em busca de alimento
Um levanta voo e vai posar solitário sobre um galho
Abrindo suas penas para receber o sol
Que solidário vai ficando mais forte
E a brisa fresca da manhã vem me saudar
Lembrando que o dia já começou e que faço parte dele
 E o canto dos pássaros me diz que é tempo
De tentar ser feliz...
Darcy Bilherbeck

11/11/66

Meu Deus









MEU DEUS...
Ajuda-me a dizer a palavra da verdade na cara dos fortes e a não mentir para obter o aplauso dos débeis.
Se me dás dinheiro, não tomes a minha felicidade
 e se me dás força, não tires o meu raciocínio.
Se me dás êxito, não me tires a humildade.
Se me dás humildade, não me tires a minha dignidade.
Ajuda-me a conhecer a outra face da realidade
 e não me deixes acusares meus adversários,
 apontando-os de traidores, porque não partilham o critério.
Ensina-me a amar os outros como eu amo a mim mesmo
 a julgar-me como julgo os outros.
Não me deixes embriagar com o êxito, quando o consigo,
 nem a desesperar, se fracasso.
Sobretudo, faz-me sempre recordar que o fracasso é a prova que antecede o êxito.
Ensina-me que a tolerância é o mais alto grau da força
 e que o desejo de vingança é a primeira manifestação da debilidade.
Se me despojas do dinheiro, deixa-me a esperança
 e se me despojas do êxito, deixa-me a força de vontade para poder vencer o fracasso.
Se me despojas do dom da saúde deixa-me a graça da fé.
Se eu causar dano a alguém, dá-me a força da desculpa,
E se alguém me causa dano, dá-me a força do perdão e da clemência.
Meu Deus...
Se eu me esquecer de Ti,
Tu não Te esqueças de mim
Amém
MAHATMA GANDHI

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

A Chuva

                                           















Quando a tua lembrança bate á porta
E como a tempestade rompendo as comportas como águas represadas
Que se transformam em lágrimas
Caudalosas como um vendaval 
Jogando-me contra o meu passado
De luz, de sol
De amor sublime como claridade das manhãs...
Hoje sem as alegrias reais
Ficou o turbilhão de dias sem cor e sem sons,
Vivo a vida de cada dia
Saio pela chuva descalça
Na ânsia de ter a alma lavada
 E o coração acalentado...
Já não sinto a solidão, ela adormeceu
Outra vez.
Só a chuva forte e os trovões e esta real certeza de que sou feita de saudades
Então olho para o alto e suplico o socorro que vem do alto
Pois só sendo assim consigo prosseguir nesta jornada de dias sombrios
Onde minha alma sedenta de luz espera...



Darcy Bilherbeck

       SP,22/01/14








sábado, 6 de dezembro de 2014

A Beira do Caminho





















Já não calo a dor dos caminhos
Por onde se perderam os meus passos
Meus olhos cansados sentem a escuridão
Que se aproxima lenta e progressiva
Pudera eu tirar dos ombros cansados o fardo da longa jornada...

Descansar a beira do caminho
Deixar cair por entre a pedra à dor e as desilusões, deixar as lágrimas cair
Em meio à relva orvalhada da manhã,

Se outra vez aqui passar
Talvez encontre flores brancas
A enfeitar o verde da campina
Por onde outrora passei.

E se as lembranças acordarem as 
Saudades
Direi teu nome ao vento
Na esperança de um dia te encontre
E faça um sorriso nos teus lábios aflorar

E quem sabe assim
Deixe teu nome ao lado do meu...


Darcy Bilherbeck


22/01/14

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Um Tempo




















  Um Tempo

Trilhas de folhas caídas
Pelo outono vencido,
Acolhem meus pensamentos...
 Todos os atalhos
Sem as delicias de outrora,
Onde sigo a passos lentos

Ilusões, folhas caídas,
Chances válidas perdidas,
Apelos no tempo esquecido...
A lembrança andarilha
Vão se perdendo pelas trilhas
Da inevitável saudade!
Se diluindo em gotas pelo
Caminho onde persigo
Sonhos...
No outono que se finda.  

                         Darcy Bilherbeck

                                             04/11/89.

















quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

*** Regresso ***




















Quando eu chegar
Do Tempo...
Quero um porto seguro
Onde possa atracar
Minha nau
Carregada de sonhos
Que fui compondo além
Das estradas
 peregrina sou
Portos! Cada chegada, cada partida
Amealhei de tudo um pouco
Sonhos vulneráveis, em almas empobrecidas
De amor...
 Efêmeros momentos, nada mais
De tantos outros cheios de luz e cor
Promessas há! Quantas sem nenhum valor
Outros...  Cheios de fantasias
Carregados de projetos e planos
Quero um porto onde eu possa
Chegar e esvaziar, malas e espalhar
Os sonhos pelo ar e recomeçar...

   Darcy Bilherbeck

                São Paulo, 14/07/2004.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Mulher (AnelizePagotto )



















Mulher é pássaro singelo
          Que corta o céu da realidade,
Abrindo as asas e mergulhando no infinito,
Buscando seus sonhos, sem jamais ter medo
          De quebrar as asas... Mulher é coragem

Porque trabalha, se esforça, enfrenta!
É a que sustenta e preenche a alma vazia de todo o ser
Que é banhado pelos seus olhos.

          É ela que espalha e planta a sementinha
Da esperança nos corações arenosos e infiéis dos homens
Egoístas e duros.
É pacientemente rega essas sementes com afeto,
Lágrimas e... Sangue.

              Mulher é varão forte que defende e cria,
Que luta e que vive!
É também o amor na forma humana,
A delicadeza e a pureza.

              A mulher espera... E gera não somente filhos,
Não somente amores, não somente saudades,

Mas também a mais pura felicidade.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Torrente























A minha mente é como a torrente
 De águas represadas,
 Que sufocada
Se cala... E espera
Que o tempo passe
Que os dias se percam
Na nebulosa noite sem fim
Há! Esta tendência de ficar
Com os sentimentos em suspense
Esperando...
Que este turbilhão de sentimentos
Se acalmem e quem sabe
Se diluem em gotas pela face
De um novo dia.

          Darcy Blherbeck


           SP, 02/12/14